Pesquisa nacional: madeiras de Mogno Africano x Ipê

Saber o valor do Mogno Africano é um questionamento recorrente de empreendedores quando estão estudando o retorno financeiro do cultivo de Mogno Africano no Brasil. Diante dessa dúvida, foi realizado uma pesquisa de mercado em madeireiras no primeiro semestre de 2018, sendo solicitado orçamentos de madeiras de Mogno Africano e de Ipê em diversas capitais: São Paulo/SP, Rio de Janeiro/RJ, Campo Grande/MS, Cuiabá/MT, Belo Horizonte/MG e Amazonas/AM.

Optou-se pela madeira de ipê por ser madeira nobre já popularizada no mercado brasileiro e por apresentar finalidade similar ao Mogno-africano, com ressalvas à qualidade da madeira.

Pratos de Mogno Africano. Foto Marcelo Andre (Fonte: ABPMA)

O mogno africano apresenta maior resistência em contato com a água, maior dureza e durabilidade, além disso, o aspecto estético é seu diferencial, sendo comum sua utilização para fabricação de móveis de luxo. Porém, por ser ainda um produto novo no mercado brasileiro, substituto do mogno-brasileiro, o uso de sua madeira ainda não foi popularizado no mercado nacional até o momento.

Nesta breve pesquisa de mercado, 77 madeireiras foram pesquisadas. Dessas 77, apenas 22 trabalham com ipê, 2 com Mogno-africano e 1 com o Mogno Brasileiro. Durante a cotação, foi possível identificar o desconhecimento sobre o Mogno Africano, o qual foi confundido frequentemente com o Mogno Brasileiro.

Vale lembrar que o Mogno Brasileiro está ameaçado de extinção em decorrência da extração predatória somada a praga “broca de ponteiro” ou “broca-das-meliáceas”, tornando a comercialização proibida e para que seja possível comercializá-la requer aprovação de diversos órgãos públicos e ambientais para a comercialização.

Porém, o mogno brasileiro foi encontrado em apenas um dos estabelecimentos cotados no valor de R$ 5.800 a R$ 10.000 o m³ (o valor pode variar de acordo com o corte que desejar).

Já a madeira de ipê foi encontrada em diversos formatos: toras, vigas, lâminas, pisos, degraus, decks, pranchas, entre outros formatos. Isso mostra a alta versatilidade e aceitação no mercado nacional. Sendo o valor do m³ entre R$ 4.500 e R$ 6.500.

Enquanto o Mogno-africano foi mencionado como o “novo Ouro Verde” pela atendente de um dos estabelecimentos cotados na cidade do Rio de Janeiro/RJ. Ela também estimou que o valor de sua madeira estivesse entre R$ 8.000 a R$ 10.000 o m³. O mogno africano foi encontrado em apenas um estabelecimento no valor de R$ 6.500. Este fato justifica a denominação de “novo Ouro Verde”, por ser um produto novo no mercado nacional e desconhecido pelas madeireiras.

Apesar do valor da madeira de Ipê se equivaler ao do Mogno Africano, vale lembrar que corte raso de uma floresta de Ipê é de no mínimo aos 25 anos de idade. Isso significa que alto valor agregado dessa madeira, o retorno financeiro possui prazo maior do que o Mogno-africano, sendo que este possui o corte final entre 17 e 18 anos.

Tabela Ipê versus Mogno Africano

planilha modelo de investimento

 

 

 

 

 

  

 

Ligar

icon telefoneFale conosco!

(11) 4063-5206

 

Bate-Papo

icon chat

Receba ajuda de um

especialista on-line

Das 8h às 18h

E-mail

icon email

Envie-nos perguntas

detalhadas sobre sua dúvida

Saber Mais

Saber Mais

Use a Central de Atendimento

para encontrar as respostas

rapidamente.

Logo IBF

 WhatsApp IBF

bnds edit

Endereço

Instituto Brasileiro de Florestas

IBF Londrina

- Rua Sena Martins, 281B
Bela Vista, Londrina - Paraná
86015-060

+55 (43) 3324-7551

IBF Curitiba

- Rua Lívio Moreira, 631
São Lourenço, Curitiba - Paraná
82200-070

+55 (41) 3018-4551