A madeira sempre foi a principal matéria prima para a construção civil até o concreto se popularizar no começo do século 20. Porém com o tempo, notou-se que o concreto não possui tanta durabilidade quanto pensavam e que sua manutenção custa caro. A partir disso, foi necessário diversificar e utilizar novas alternativas mais baratas e duráveis, fazendo com que a madeira voltasse a ocupar lugar de destaque no ramo das construções.

Mesmo não sendo tão comum, a construção de casas de madeira é pouco abordado em universidades e empresas do meio civil, apesar dela ser uma alternativa válida e que possui muitas vantagens e benefícios quando se comparada ao concreto, por exemplo. Uma das suas principais vantagens, é que, por se tratar de uma matéria prima renovável e ainda realizar o sequestro de gás carbônico (CO2) presentes na atmosfera, a madeira é uma alternativa de menor impacto ambiental, tornando-se mais sustentável.

Além disso, esse material consegue garantir um ambiente com temperatura mais agradável, pois possui baixa capacidade para conduzir calor ou frio. Dessa forma são capazes de manter a casa em uma temperatura neutra, ou seja, nem tão quente no verão e nem tão fria no inverno.

Outra qualidade da madeira que vale a pena ressaltar, é o visual rústico e artesanal que ela agrega para a casa, deixando o espaço com uma experiência mais aconchegante. A madeira pode proporcionar ao ambiente, som, acústica, cheiro e outros prazeres distintos do tradicional.

Há ainda a vantagem no sentido da construção e manutenção, pois a madeira é um material mais maleável, leve, que permite furos, cortes e ajustes caso seja necessário adaptação na obra. As principais espécies de madeiras comuns utilizadas hoje em dia são o Pinus e o Eucalipto. Já de madeiras nobres, são o Mogno Africano e o Ipê.

Com a confecção de placas mais resistentes, a madeira se tornou uma ótima opção para construções de maior porte. Segundo uma reportagem publicada no Jornal Estadão, “existem projetos no exterior que já preveem a construção de edifícios de mais de 80 andares. O cenário inclui Austrália, Europa, América do Norte e Japão, com edifícios, prédios universitários, estádios (como o da Olimpíada de Tóquio) e até museus de madeira, parte deles assinados por arquitetos renomados. Tudo isso aliado a mudanças legislativas para incentivo ao uso do material.”

Normalmente, o custo de casas de madeira é de 30% a 40% menor do que o custo de uma casa em alvenaria de áreas e padrões equivalentes. Além disso, as casas de alvenaria costumam levar muitos meses e até anos para serem construídas, já as casas de madeira, após o preparo do terreno e fundação, levaria em torno de apenas 90 a 260 dias.

Sabemos que a madeira apresenta excelente resistência e durabilidade. Um fato interessante, é que há registro de construções em madeira com mais de 1.000 anos. A madeira, principalmente nobre, quando de boa qualidade e bem trabalhada, funciona como a alvenaria e a sua durabilidade é proporcional aos cuidados de manutenção.

A manutenção de uma casa de madeira é bem mais simples do que de uma casa de alvenaria, bastando apenas uma mão de verniz a cada 3 ou 4 anos (dependendo da incidência de sol na construção) e dispensando outros materiais como massa corrida, fixadores, tintas, entre outros materiais.

É importante repensar sobre a utilização de uma nova alternativa sustentável e que não cause danos para construções de casas e edifícios. Além dos benefícios estéticos, estaremos contribuindo com os benefícios ecológicos do nosso meio ambiente. Aproveite para conhecer mais algumas curiosidades sobre coisas feitas de madeira que talvez você não sabia:

botao leia mais coisas feitas madeira