Espaçamento para plantio de Mogno Africano

Espaçamento é uma das variáveis fundamentais que influencia na produção de madeira nobre para serraria. O espaçamento nada mais é que a distância entre as plantas no campo. No caso de plantio de florestas nobres, para determinar essa distância é considerado o sistema radicular, parte aérea durante o desenvolvimento das árvores e o tamanho da a área a ser explorada.

Berger afirma que “a distância entre as mudas é uma das variáveis que atua no crescimento de um povoamento florestal e que pode ser controlada eficientemente pelo silvicultor”. O espaçamento desempenha um papel fundamental quando se deseja produzir madeira de boa qualidade.

O espaçamento ideal em plantios destinados à produção de madeira para serraria é aquele que atinge boa produtividade e qualidade da madeira extraída pelo menor custo de implantação e manutenção, alcançando maior lucratividade do negócio florestal.

Atualmente, existem dois modelos de espaçamentos mais utilizados na silvicultura: povoamentos homogêneos e sistema silvipastoril. Em ambos os casos é preciso se atentar a posição do sol para antes de plantar a floresta, sendo o ideal que o plantio seja feito no sentido leste/oeste.

Espaçamento puro para plantio de mogno africano

A densidade de povoamentos homogêneos pode variar entre 1.200 e 2.000 árvores por hectare. Para florestas de Mogno Africano, o espaçamento mais indicado é 3 x 2 metros (1.666 árvores/hectare) por ser um modelo com bom custo benefício, permitindo boa qualidade e seleção da madeira madura, além de facilitar o acesso e o manejo mecanizado entre as linhas.

O espaçamento 3 x 2 metros apresenta diversas vantagens no desenvolvimento da floresta, sendo elas:

  • Árvores com maior grau de esbeltez;
  • Retilineidade;
  • Maior altura de fuste;
  • Cilindricidade e maior seleção;
  • Melhor fator de forma;
  • Maior produtividade;
  • Rápido fechamento do dossel e menor custo de operação. 

Todas as vantagens pontuadas anteriormente influenciam uma a outra. Quando se é plantado nesse modelo de espaçamento, há a competição entre as árvores plantadas para obter mais luz e nutrientes no solo. Essa competição faz com que elas crescem de forma mais retilínea e produzam menos ramos laterais, dessa forma, o fechamento do dossel se dá de forma mais rápida do que em outros espaçamentos. 

O fechamento do dossel dificulta a passagem de luz fazendo com que as plantas invasoras não predominem na floresta, reduzindo-se assim o custo de manutenção da floresta.

espaçamento 3x2 para plantio de mogno africano

Nesse processo de crescimento da muda já é possível verificar maior grau de esbeltez. A esbeltez está relacionado ao crescimento em DAP (Diâmetro à Altura do Peito) da árvore. O DAP adequado garante estabilidade da planta contra tempestade e ventos e melhor fator de forma, pois é possível aproveitar toda a altura da árvore em tora para se obter peças de maior comprimento e largura. Dessa maneira, há maior rendimento da madeira produzida.

Por isso, o melhor custo-benefício para produção de madeira para serraria são os sistemas puros, espaçamento mais densos (6 m²/árvore) em quincôncio, facilitando a mecanização e melhor distribuição do espaço vital. Deste modo, inicia-se com o povoamento inicial  de 1.666 árvores/hectare conforme ilustrado na figura ao lado. 

Já os espaçamentos menos densos, como o 4 x 4 m ou 6 x 6 m, fazem com que a árvore seja mais tortuosa, apresente mais galhos, menor conicidade e consequentemente baixo grau de esbeltez. Tudo isso gera uma menor seleção das árvores, pois irão apresentar fator de forma menor e consequentemente baixa produtividade. 

O fechamento do dossel da floresta é mais lento, apresentando maior incidência de luz solar, propício para o surgimento de plantas invasoras. Sendo necessário realizar atividades de manutenção da florestas mais recorrente e gerando assim maior custo de operação.

Espaçamento de mogno africano em sistemas silvipastoris

Em sistemas silvipastoris recomenda-se o plantio em renques, acima de 4 linhas para cada renque, variando a dimensão do vão conforme a densidade pretendida. Nesse sistema busca-se conciliar a floresta com a pecuária. Para evitar pisoteamento das mudas e outros danos ao desenvolvimento da floresta, é indicado aguardar no mínimo 2 anos para que o gado seja solto no local.

espaçamento em sistema silvipastoril

Além dos espaçamentos, também é necessário realizar atividades de manutenção da florestas como a matocompetição, controle de formigas e definir o sistema de desbastes. Nos primeiros anos, essas atividades precisam ser mais intensas, porém ao se inserir o gado, o controle do mato já é controlado pelos próprios animais, reduzindo-se o custo de manutenção da floresta.

O modelo de espaçamento em renques também pode ser utilizado para plantios consorciados, que seriam o plantio de uma segunda cultura junto com o mogno africano. Neste caso, no vão seriam plantados a cultura secundário, sendo que a medida desse vão variar de acordo com o que se pretende plantar. Por isso, busque ajuda profissional que irá indicar o melhor espaçamento para o plantio consorciado.

Como foi visto, há inúmeras formas de se plantar mogno africano: sistemas puros, sistemas silvipastoris e consorciado. Porém, em qualquer um dos sistemas escolhidos é importante se atentar para o que se pretender obter com a floresta, para que assim, a distância entre as mudas seja definido de forma mais assertiva. 

 

 

 

Treinamento

 

Boletim Informativo

Mogno Africano

Ligar

icon telefone

Fale com um especialista do IBF

das 8h às 18h

+55 11 4063-5206

Bate-Papo

icon chat

Receba ajuda de um

especialista on-line

Das 8h às 18h

E-mail

icon email

Envie-nos perguntas

detalhadas sobre sua dúvida

Saber Mais

Saber Mais

Use a Central de Atendimento

para encontrar as respostas

rapidamente.

Logo IBF

 whats

bnds edit

Nossos Serviços

Endereço

Instituto Brasileiro de Florestas

IBF Londrina

- Rua Sena Martins, 281B
Bela Vista, Londrina - Paraná
86015-060

+55 (43) 3324-7551

IBF Curitiba

- Rua Lívio Moreira, 631
São Lourenço, Curitiba - Paraná
82200-070

+55 (41) 3018-4551