IBF e Viveiro Mangalô promovem Dia de Campo

O Instituto Brasileiro de Florestas (IBF) e o Viveiro Mangalô (Eco Parceiro) promoveram, em parceria, um evento de Mogno Africano no dia 14 de março de 2015, na cidade de Abaeté/MG.

Este evento, denominado de Dia de Campo teve como objetivo transferir conhecimento acerca da produção e manejo desta espécie de árvore, além de visitas as áreas de produção e de plantios. Por meio desta checagem a campo, os participantes tiveram a oportunidade de conhecer as técnicas, tecnologias e métodos aplicados no planejamento das atividades de plantio e manejo comercial das florestas de Mogno Africano, tendo assim, uma visão sistêmica de todo trabalho.

O Dia de Campo contou com palestra do Higino Aquino, Diretor de Desenvolvimento do Instituto, assim como o de João Marcelo Diniz e Jonas Fos, responsáveis pelo Viveiro Mangalô.

dia.de.campo.mangalo2 dia.de.campo.mangalo1

 

Mogno Africano: Tudo sobre plantio, mudas, investimento, rendimento

sementes-de-mogno-africano-khaya-ivorensis12
Mogno Africano

O mogno Africano

 

Originário da costa ocidental Africana, hoje, o Mogno Africano ganha espaço no cenário mundial, sendo a principal madeira nobre cultivada no Brasil.
Com interessante valor econômico, o Mogno Africano tem excelente uso comercial, devido à raridade e beleza da madeira. É usada em movelaria, construção naval e em sofisticadas peças ornamentais.

Além do alto aproveitamento econômico o plantio do Mogno africano torna-se interessante pela capacidade de adaptação em todo território nacional, pela revitalização de áreas degradadas, cultivo em consórcio com demais espécies, tais como banana e café.

O plantio de Mogno Africano requer técnicas e cuidados.

Instituto Brasileiro de Florestas

O Instituto Brasileiro de Florestas (IBF) fomenta o plantio, oferecendo cursos de produção, visitas técnicas, insumos, manutenção e consolidação das florestas, garantindo todas as informações indispensáveis para o início e acompanhamento do plantio.

Nas palavras de Higino Martins Aquino, diretor de desenvolvimento do IBF, o investimento para 1 hectare de florestas de Mogno Africano gira em torno de R$ 25 mil e podendo gerar um proveito de R$ 1.000.000,00 no corte final, que varia entre 17 e 21 anos.

Atendendo a demanda crescente na busca pela madeira nobre no Brasil o IBF realiza Workshop Internacional de Mogno Africano visando difundir e fortalecer o cultivo desta madeira no Brasil, promovendo a interação entre profissionais, empreendedores, investidores, estudantes e instituições de pesquisa, criando-se assim, uma rede de colaboradores capaz de otimizar todo processo da cadeia produtiva e de manejo desta espécie.

 

A busca pelo Mogno Africano deriva do seu alto valor agregado, destacando-se como um promissor investimento, visto que há um déficit por esta nobre madeira no panorama internacional, sendo sua procura cada vez mais requisitada.

Quer ser parceiro do IBF no 2º Workshop Internacional de Mogno Africano?

Um dos diferenciais do 2º Workshop Internacional de Mogno Africano em relação ao 1º evento, realizado no ano de 2014 diz respeito a inserção de empresas parceiras na realização do Workshop. Neste sentido, além do cunho informativo, este Workshop visa expor produtos e/ou serviços de empresas atrelados a este segmento.

Além de se tornar parceiro do IBF, a empresa poderá se relacionar com um público segmentado, ávido por encontrar empresas que forneçam insumos necessários para implantação de empreendimentos florestais.

Neste sentido, o IBF visa criar um espaço para exposição de empresas parceiras do evento, possibilitando a divulgação de seus produtos e serviços.

Para informações adicionais, acesse: http://blog.workshopmognoafricano.org.br/apoio

Esteja visível neste evento. Participe e seja parceiro do IBF.

 

Dinâmica da exposição:
A transferência de conhecimento e know-how acontecerá por meio de palestras e mesa redonda. Após a realização destas atividades, os participantes poderão visitar o auditório específico para exposição dos parceiros.

Mogno Africano:
A busca pelo Mogno Africano deriva do seu alto valor agregado, destacando-se como um promissor investimento, visto que há um déficit por esta nobre madeira no panorama internacional, sendo sua procura cada vez mais requisitada.

Investir em evento sobre Mogno Africano?
Durante o processo de produção de mudas e plantios, há a utilização de diversos produtos que muitas vezes não são específicos para mudas florestais, sendo adaptadas para esta finalidade. Como é um investimento de longo prazo, os empreendedores da área e investidores necessitam manter um acompanhamento constante do processo de produção e também da floresta, necessitando adquirir produtos para diferentes fases da etapa de produção.

2º Workshop Internacional de Mogno Africano

Por meio da realização do 2º Workshop Internacional de Mogno Africano, o IBF visa difundir e fortalecer o cultivo desta madeira nobre no Brasil, promovendo a interação entre profissionais, empreendedores, investidores, estudantes e instituições de pesquisa, criando-se assim, uma rede de colaboradores capaz de otimizar todo processo da cadeia produtiva e de manejo desta espécie.

Devido ao alto valor agregado, a produção e cultivo do Mogno Africano destacam-se como um promissor investimento, visto que há um déficit por esta nobre madeira no panorama internacional.

A transferência de know-how acontecerá por meio da realização de palestras e mesa redonda, contando com a participação de palestrantes de grande destaque no cenário nacional e internacional.

Data: 29 de abril de 2015 – 4ª feira
Local: São Paulo/SP

 

arvore.mogno

Mogno Africano

Objetivos: 

  • Capacitar empresas e agentes para o processo de cultivo profissional de Mogno Africano;
  • Integrar os públicos de interesse em objetivos convergentes;
  • Indicar as melhores práticas na condução da criação da floresta de Mogno Africano;
  • Superar desafios por meio da troca de experiências de outros investidores.

Temas:

Este workshop servirá para você que tem intuito na produção de mudas, assim como almeja informações técnicas da espécie e também, para aqueles que buscam por elementos da técnica silvicultural. Assim sendo, este evento levantará informações sobre:

  • Técnicas básicas de produção (viveiro, quebra de dormência, semeio, etapas de produção, manejo, legislação);
  • Aspectos silviculturais e ecológicos do Mogno Africano;
  • Espécie x região de plantio;
  • Técnicas silviculturais (etapas técnicas de implantação da floresta – pré, durante e pós plantio);
  • Perspectivas comerciais;
  • Estudo de caso – Mogno Africano na Austrália;
  • Exploração econômica da Reserva Legal (RL).

 

 

1º Workshop Internacional de Mogno Africano

O primeiro evento foi realizado no dia 05 de novembro de 2014, também na cidade de São Paulo/SP e foi um enorme sucesso. Por meio deste evento precursor, ficou claro a demanda latente existente neste pouco explorado segmento. Para atender os anseios dos participantes, este 1º Workshop realizou a mescla entre profissionais relacionados à parte acadêmica, cases de produtores de floresta de Mogno Africano, informações de produtores de mudas florestais, garantindo assim, que todo processo sistêmico produtivo fosse abordado, aproximando os profissionais com experiência nacional e internacional aos silvicultores de todo Brasil.

mosaico-1.workshop

1º Workshop Internacional de Mogno Africano

Projeto Vale Sustentável

Projeto visa reflorestar Áreas Susceptíveis à Desertificação no Vale do Açú

Projeto Vale Sustentável

Projeto Vale Sustentável

O Vale Sustentável é um projeto voltado à implantação de ações que visam mitigar o processo de desertificação que vem atingindo a região do Vale do Açú, localizado no Estado do Rio Grande do Norte. Grande parte da degradação é oriunda da extração de argila, voltado a produção de tijolos e telhas para parque ceramista, além do consumo de lenha nativa.

Neste contexto, a Associação Norte-Rio-Grandense de Engenheiros Agrônomos (ANEA), em parceria com várias entidades, conseguiu financiamento para operacionalização das ações por meio do Programa Petrobrás Socioambiental.

Este projeto tem como objetivo recuperar 130 hectares de áreas degradadas, além de promover a capacitação de agentes ambientais e criação de uma rede de coletores de sementes de espécies nativas do bioma da região. No caso, a mão de obra para realização das atividades serão oriundas de moradores de assentamentos da reforma agrária, que serão remunerados por tal ação.

O Instituto Brasileiro de Florestas, entende que este tipo de ação de recuperação florestal faz-se de enorme importância dentro deste cenário de processo de desertificação do único bioma exclusivamente brasileiro. Isto demonstra também, o déficit de coletores capacitados de sementes nativas, o que acaba por dificultar o início do ciclo de produção de mudas. Porém, a iniciativa do Projeto Vale Sustentável é um alento de projetos a serem seguidos, que envolvem vários atores e convergem a objetivos comuns.

Para informações adicionais acerca do Projeto Vale Sustentável, acesse: www.projetovalesustentavel.com.br

O uso de drones em florestas de mogno africano

O uso de drones contribui para o plantio de árvores.

drone_mogno1

Vitor Pinheiro, Higino Aquino, Simon Penfold, Solano Aquino

Recém-chegado no Brasil, os drones auxiliam na preservação e monitoramento de grandes lavouras e florestas, promovendo a identificação de pragas ou danificações. Já na área ambiental, possibilita visualizar a presença de florestas nativas, acompanhar seu processo de regeneração natural e ainda ter certeza que a floresta comercial, coexiste em harmonia com as florestas nativas.

Os drones, em sua maioria, são equipados com computador de bordo e GPS que recebe sinais de oito satélites, com isso é possível fazer um voo muito preciso. A documentação obtida pelo drone pode ser mais rápida e barata. As imagens coletadas pelos drones são de alta resolução, sendo superiores às imagens feitas pelos satélites. São analisadas com auxílio de softwares, a qual indica, através das cores características, os possíveis problemas encontrados na área percorrida como doenças, falhas, áreas atacadas por pragas, plantas daninhas, deficiência hídrica, comportamento dos sítios, entre outros.

 

drone_mogno2

Higino Aquino em um plantio experimental de mogno africano.

 

Os avanços na tecnologia e a utilização de máquinas mais sofisticadas aumentaram a eficiência nas ações de corte de árvores, mas o replantio ainda é um delongado procedimento manual. E através do uso de fotografia aérea deve aumentar os ganhos de produtividade nos próximos anos.

workshop

1° Workshop Internacional de Mogno Africano

IBF realizou o 1° Workshop Internacional de Mogno Africano em São Paulo. O evento foi dia 5 de Outubro na capital paulista, realizado na ComSchool & Ecommerce School na Avenida Paulista em São Paulo.

workshop

O objetivo do Workshop foi levantar questões relacionadas às florestas de mogno africano, como técnicas, plantio, manejo comercial, entre outras. Também foram abordados temas acerca de melhorias nas práticas para o plantio de florestas de mogno africano no Brasil. E a associação da cultura de plantio do mogno com a cultura plantio do café

O Workshop contou também com a presença do australiano Simon Penfold que possui uma experiência de mais de 30 anos no setor florestal Australiano especialmente em Mogno Africano.

Veja quem foram os palestrantes do 1° Workshop Internacional de Mogno Africano:

  • Higino Martins Aquino Júnior
  • João Emílio Duarte Matias
  • Alcides Pereira Santos Neto
  • André Franco
  • Eduardo Ciriello
  • Patrícia Fonseca
  • Andressa Ribeiro
  • Solano Martins Aquino
  • Simon Penfold
  • Vitor Pinheiro